Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal

Como funciona o diagnóstico para o novo coronavirus?

27/07/2020 14:42 | Última atualização 27/07/2020 16:42
Como funciona o diagnóstico para o novo coronavirus?

​​O diagnóstico para detectar o novo coronavirus pode ser realizado através de avaliação clínica, quando o médico avalia os sinais e sintomas dos pacientes; exames de imagem, como tomografia computadorizada e ressonância magnética; e os exames laboratoriais, que podem ser RT-PCR, sorologia e teste rápido. E para fazer o diagnóstico correto de cada um desses exames, ninguém melhor que um médico ou profissional da saúde habilitado.

O São Joaquim Hospital e Maternidade disponibiliza dois tipos de exames para Covid-19: o RT-PCR com confirmação obtida através da detecção do RNA do SARS-CoV-2 na amostra analisada; e o teste rápido / sorologia de anticorpos que identificam uma resposta imunológica do corpo em relação ao vírus.


O RT-PCR é realizado com um tipo de cotonete que obtém raspado de nasofaringe. A coleta de material pode ser feita a partir do 3º dia após o início dos sintomas e até o 10º dia, pois ao final desse período, a quantidade de RNA tende a diminuir. Ou seja, o exame identifica o vírus no período em que está ativo no organismo, tornando possível aplicar a conduta médica apropriada: internação, isolamento social ou outro procedimento.

Já o teste rápido / sorologia de anticorpos é similar ao teste de farmácia para gravidez, porém ele reage com a amostra de sangue e apresenta uma indicação visual em caso positivo. A vantagem desse teste é a obtenção de resultados rápidos para a decisão da conduta. No entanto, a maioria dos testes rápidos atualmente disponíveis, possuem sensibilidade e especificidade muito reduzidas em comparação as outras metodologias.

“Todos os clientes Unimed Franca têm direito aos exames para diagnóstico do novo coronavirus, desde que seja solicitado por um médico plantonista do Centro de Triagem Covid-19. Outras prescrições não serão aceitas”, informa o Dr. Daniel Martiniano Haber, médico otorrinolaringologista e Diretor-Presidente da Unimed Fraca.

Vale ressaltar que a cobertura dos exames e testes é para pacientes que apresentem síndrome gripal (sensação febril ou febre, acompanhada de tosse ou dor de garganta ou coriza ou dificuldade respiratória) ou síndrome respiratória aguda grave (quadro grave respiratório com dificuldade para respirar e queda da oxigenação sanguínea).

“Caso o paciente tenha interesse em realizar o exame mesmo sem a recomendação do médico, os Laboratórios de Análises Clínicas da Unimed Franca estão aptos a realizá-lo particular. Porém, é importante que o exame seja feito no tempo correto para que o resultado seja confiável”, conclui Haber.​

Fonte: Fonte: Marketing & Comunicação

Selo ONA3
PALC